Os 3 tipos de Câncer mais comuns em mulheres e como se prevenir

O câncer é uma das doenças que mais mata no mundo. Em mulheres, os tipos de câncer mais frequentes são o de mama, de colo do útero e de ovário. O câncer de mama é o segundo tipo mais comum. Muitas vezes, essas doenças não apresentam sintomas, o que dificulta o diagnóstico prévio e também a busca por tratamento nos estágios iniciais da doença.

Sedentarismo, bebidas alcoólicas em excesso, cigarro e a ingestão de gorduras e açúcares em excesso, são fatores apontados como possíveis causas do câncer. Mas a doença pode acometer até mesmo pessoas saudáveis, em qualquer estágio da vida. Vamos entender um pouco sobre os tipos de câncer mais comuns nas mulheres e algumas maneiras de preveni-los.

Câncer de mama

Este é o tipo de câncer que mais acomete as mulheres. Idade avançada, uso prolongado de hormônios femininos, excesso de peso e histórico familiar são alguns fatores de risco que levam ao surgimento da doença. O primeiro sinal é um nódulo indolor, como uma bolinha endurecida, que surge na mama. Ao perceber este nódulo ou qualquer tipo de deformidade na mama, retração da pele ou vermelhidão, é hora de ir ao médico fazer os exames periódicos e de mamografia.

Recomenda-se realizar os exames uma vez a cada dois anos, se a mulher estiver entre 20 e 40 anos, e uma vez por ano após os 40 anos. Em casos que o câncer é detectado, a mamografia ajuda a receber um diagnóstico nos estágios iniciais. Quando a doença é detectada precocemente, há chance de cura em 90% dos casos.

Outra maneira de se cuidar é realizando o autoexame das mamas, um ato simples que pode ser realizado todos os dias pelas mulheres, e evita muitas doenças. Esta verificação ajuda a mulher a conhecer o próprio corpo e perceber quando há algo fora do comum, alguma secreção ou vermelhidão.

Câncer de colo do útero

A principal causa do câncer de colo do útero é o vírus HPV, transmitido por meio de relações sexuais. Este vírus aparece com frequência na vida das mulheres, mas nos seus estágios iniciais é inofensivo e pode ser rapidamente tratado. O que pode acontecer é de o vírus passar por alterações celulares que evoluem para o câncer, e esses casos exigem exames médicos periódicos e mais atenção à saúde.

As alterações do vírus são descobertas facilmente no exame de rotina conhecido como Papanicolau. Em quase todos os casos, o vírus tem cura, mas para isso é preciso se consultar com a médica periodicamente. Embora o número de casos esteja cada vez menor, o câncer de colo do útero ainda está entre as enfermidades que mais atingem as mulheres.

Por ser uma doença transmitida através de relações sexuais, a melhor maneira de se cuidar para evitar a contaminação do vírus é usar preservativo em todas as relações sexuais. Também é essencial visitar a médica e fazer o Papanicolau periodicamente.

Câncer de ovário

Este é um tipo de câncer silencioso e difícil de diagnosticar. Caracteriza-se pelo desenvolvimento um tecido doente nos ovários. Muitas vezes, a doença aparece e os seus sintomas se confundem com outros problemas, como dores de barriga ou perda de apetite. Por este motivo, as mulheres devem manter as consultas ginecológicas em dia, realizando os exames necessários para se prevenir da doença.

O conhecimento sobre os sintomas do câncer de ovário permite que muitas mulheres sejam diagnosticadas o quanto antes, facilitando o tratamento e diminuindo a quantidade de casos da doença. Por essa razão, é essencial ficar atento aos sintomas como: inchaço exagerado no abdômen, dor abdominal ou na pelve, dificuldade para comer ou rápida sensação de saciedade, necessidade de urinar com muita frequência.

A pílula anticoncepcional, ou outros métodos contraceptivos orais, podem reduzir o risco do câncer de ovário em até 60%. Outro método que pode ser considerado é a cirurgia preventiva para remover os ovários e as trompas. Entretanto, é fundamental ter uma consulta com seu médico para avaliar o que é melhor para o seu corpo.

A gente sabe que a rotina do dia a dia não é fácil. Encontrar tempo para fazer exames, atividades físicas, se alimentar bem, nem sempre é possível. Mas é essencial ter um acompanhamento ginecológico regular, para cuidar bem do próprio corpo e se prevenir destas e outras doenças.

E mesmo sabendo que, em alguns casos, a doença não tem cura, existem muitas formas para ajudar quem precisa. Quem tem alguém na família com a doença, sabe que a luta é muito grande. A Esbelt se preocupa em apoiar e conscientizar à todos. Estamos juntas nessa batalha!


Sugestões para você
Outros Posts
Próximo post
Tecido Emborrachado Padrão, Lycra® Power, Emana® ou Flex Form?
Post anterior
Conheça a nossa cultura de sustentabilidade